O Aprontando Uma mudou,

agora se chama Casa do Brincar.

31 de ago de 2011

"Bebês aprendendo música? Será possível?"


A Andréa, que dá aulas de música para bebês aqui no Aprontando Uma, falou para a revista eletrônica Música Toda Hora sobre como é a relação dos bebês com a música e o quanto eles podem aprender. Leia trechos da entrevista logo abaixo: 

Bebês aprendendo música? Será possível?

            Para saber um pouco mais sobre como isso funciona, conversamos com a professora Andréa Franco Schkolnick, que é uma das educadoras que realiza este curso com bebês a partir dos seis meses de idade. Andréa tem ampla formação em música e também graduação em psicologia, o que ajuda ainda mais neste trabalho. Para ela, o mais importante nas aulas é aproveitar a riqueza de música em benefício dos bebês. “Claro que ninguém vai imaginar que ensinamos bebês de seis ou nove meses de idade a ler partitura ou tocar um instrumento, usamos a variedade da expressão musical como veículo para despertar na criança uma série de situações, como estímulos, movimentos, linguagem e comunicação em geral e a evolução acontece rapidamente”, explica.
            Andréa conta que a evolução do bebê é muito dinâmica e o ideal é incluir uma variedade de estímulos auditivos e movimentos, fazendo que ele perceba que existe um mundo sonoro à sua volta, vivenciando ritmos e sons levados até ele de muitas maneiras, seja com instrumentos como flauta, teclado ou percussão, cantando, batendo palmas, músicas em CD e ainda sons de seus próprios brinquedos ou do ambiente. A linguagem usada é portanto uma integração entre visual, gestual e sonora.
            Como estão sempre acompanhados por uma adulto, pai, mãe ou responsável, esta pessoa participa também deste momento encantador e, segundo comenta Andréa, leva para o ambiente familiar da criança este conjunto de sensações. Quando colocam uma música ou cantam em casa, informam que o bebê alterou seu comportamento, mostrando-se envolvido pelo que está escutando ou vendo. Demonstram inclusive uma percepção maior até mesmo para músicas desconhecidas que ouvem na televisão, nos desenhos que gostam.
            Associado ao trabalho, Andréa lembra também que o bebê desenvolve sua socialização, tendo contato com outras crianças e desenvolvem mais rapidamente os movimentos, uma vez que tem o estimulo dos demais para copiar e interagir.
            Há quem afirme que este trabalho será de grande valia na nos próximos anos da vida da criança, favorecendo seu aprendizado, mas para Andréa, o que vale é a intensidade do momento vivido. “Sei que existem muitos estudos sobre isso, afirmam que a música ocuparia no cérebro da pessoa o mesmo lugar, digamos assim, que a matemática e que sua capacidade intelectual será bem maior com este trabalho feito quando bebes, não duvido, mas para mim o que conta é o agora, o avanço alcançado já e que conseguimos notar ou que mães e pais nos informam, isso é gratificante”, garante Andréa.

Entrevista dada a revista virtual www.musicatodahora.com.br   junho/2011


Você quer experimentar?

No Aprontando Uma tem aulas de música para bebês com a Andréa todas as quintas, às 11h
Aulas de música para pequenos e um pouco maiores (até 4 anos) com a Pati às segundas (9h30 e 15h30), quartas (9h30 e 17h) e sextas (10h30 e 17h)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Related Posts with Thumbnails